14.8 C
São Paulo
sábado, julho 13, 2024

Hackers atacam Windows e Linux em nova campanha de ransomware

Leia mais

O cenário global de cibersegurança enfrenta uma nova ameaça com o ransomware Eldorado, que ataca tanto sistemas Windows quanto Linux. Pesquisadores da empresa de cibersegurança Group-IB identificaram que essa operação de ransomware-as-a-service (RaaS) começou a ganhar força em março deste ano, já afetando significativamente diversas indústrias.

Ransomware Eldorado

De acordo com os pesquisadores do Group-IB, a campanha Eldorado é conduzida por novos atores no mundo do cibercrime e não se trata de uma reedição de ameaças antigas. O ransomware foi desenvolvido para atingir aparelhos Windows e Linux, além de hipervisores VMware ESXi.

Nos dispositivos Linux, os criminosos podem escolher quais diretórios criptografar. Nos sistemas Windows, é possível especificar diretórios, excluir arquivos locais, direcionar compartilhamentos de rede em sub-redes específicas e evitar a autodestruição do malware, dificultando as análises pós-ataque pelas equipes de segurança.

++ Inovação inspirada em Star Wars pode ajudar a combater a seca

O Eldorado utiliza o algoritmo ChaCha20 para criptografar arquivos, gerando uma chave única de 32 bytes para cada arquivo bloqueado. Essas chaves são então criptografadas usando o sistema RSA (Rivest-Shamir-Adleman) e o esquema de preenchimento OAEP (Optimal Asymmetric Encryption Padding). Após a criptografia, os arquivos recebem a extensão “.00000001” e notas de resgate em formato TXT — com o nome “Como recuperar seus dados” — são colocadas nas pastas Documentos e Desktop.

No Windows, o Eldorado também exclui as shadow copies (backup automático) do sistema para evitar a recuperação dos dados e ignora arquivos DLL, LNK, SYS e EXE, além de diretórios críticos para a inicialização e funcionamento básico do sistema, prevenindo a inutilização completa do aparelho infectado.

Impacto e Proteção contra o Ransomware

Apesar de ser um ator recente no mundo do ransomware, o Eldorado rapidamente demonstrou sua capacidade de causar danos significativos aos dados, reputação e continuidade dos negócios de suas vítimas. Segundo o Group-IB, 16 empresas em vários países e setores sofreram ataques do Eldorado até junho de 2024, com os Estados Unidos sendo os mais afetados, representando 81,25% dos incidentes. Houve também evidências de dois ataques na Itália e um na Croácia.

++ McDonald’s dá exemplo de como resolver problemas inesperados no dia a dia

Para se proteger contra o ransomware, a Group-IB enfatiza a importância da educação dos funcionários sobre os perigos de phishing e engenharia social, além de práticas de segurança robustas, como:

  • Implementação de autenticação multifator e soluções de acesso baseadas em credenciais;
  • Uso de ferramentas de Detecção e Resposta de Endpoint (EDR) para identificar rapidamente indicadores de ransomware;
  • Realização regular de backups de dados para minimizar danos e perdas;
  • Utilização de análises baseadas em IA e detonação avançada de malwares para resposta em tempo real a intrusões;
  • Aplicação periódica de patches de segurança para corrigir vulnerabilidades;
  • Treinamento contínuo dos funcionários para reconhecer e relatar ameaças cibernéticas;
  • Realização de auditorias técnicas e avaliações de segurança anuais;
  • Evitar o pagamento de resgates, pois isso raramente garante a recuperação dos dados e pode levar a novos ataques.

O Brasil, líder em ataques cibernéticos de ransomware na América Latina, também deve ficar atento à ameaça representada pela campanha Eldorado. As organizações brasileiras precisam adotar medidas preventivas para se proteger contra essa nova ameaça cibernética.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias