20.7 C
São Paulo
sexta-feira, julho 19, 2024

Inovação inspirada em Star Wars pode ajudar a combater a seca

Leia mais

Diante de uma severa seca em Kozhikode, na Índia, onde cada residente tinha acesso a apenas dois baldes de água por dia em 2016, o então estudante Swapnil Shrivastav lembrou-se de um projeto de ciências que havia elaborado quatro anos antes sobre soluções futuras para a água em centros urbanos. Inspirado pelo filme Star Wars, Shrivastav replicou os “evaporadores de umidade” do planeta desértico Tatooine, que convertiam a pouca umidade do ar em água potável.

Com essa ideia em mente e já formado em arquitetura e design industrial, Shrivastav fundou a Uravu Labs com seus amigos Govinda Balaji e Venkatesh Raja. A startup desenvolve soluções sustentáveis para obter água potável a partir da umidade do ar, utilizando materiais dessecantes que absorvem moléculas de água da atmosfera. Esses geradores de água atmosférica operam com energia solar ou eletricidade renovável. Ao serem aquecidos a 65 °C, os dessecantes liberam a umidade, que se condensa em água potável.

Em entrevista à BBC Mundo, Shrivastav explicou que o ciclo completo leva cerca de 12 horas, com cada unidade produzindo aproximadamente 2 mil litros de água potável. A Uravu inicialmente pretendia fornecer água potável para comunidades carentes, mas a falta de apoio financeiro de ONGs e programas de Responsabilidade Social Corporativa tornou o projeto inviável. Assim, a empresa passou a vender sua água diretamente a 40 clientes do setor de hospitalidade, gerando receita adicional por meio de parcerias com aplicativos comerciais.

++ Ações da Zamp caem 9% após anúncio de aumento de capital

A escassez de água, um dos maiores problemas globais atuais, afeta vários países, principalmente no hemisfério sul, onde a população enfrenta secas extremas e inundações devido às mudanças climáticas. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 4 bilhões de pessoas sofrem com a falta de água pelo menos uma vez por ano, e até 2025, 1,8 bilhão de pessoas viverão em áreas de escassez absoluta de água.

Essa situação crítica representa um mercado emergente significativo para tecnologias que fornecem água doce sem a infraestrutura hídrica tradicional. Em 2022, o mercado de geração de água atmosférica foi avaliado em US$ 3,4 bilhões, com projeção de alcançar US$ 13,5 bilhões até 2032, segundo a consultoria Global Market Insights.

++ Exportações de frango do Brasil crescem com menor concorrência dos EUA e forte demanda do Oriente Médio

Beth Koigi, de Nairóbi, também utiliza tecnologia para produzir água a partir do ar. Cofundadora e CEO da Majik Water, Koigi gerencia um empreendimento social que utiliza técnicas de resfriamento e condensação para capturar a umidade do ar. A Majik Water começou em 2017, quando Koigi recusou-se a usar a água contaminada de um rio próximo para suas necessidades diárias. A tecnologia da empresa é instalada em áreas com acesso limitado à água, oferecendo uma solução sustentável e independente das fontes tradicionais de água.

Essas iniciativas inovadoras, inspiradas por ficção científica e movidas pela necessidade real, mostram como a tecnologia pode oferecer soluções viáveis para a crise global de água.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias