20.7 C
São Paulo
sexta-feira, julho 19, 2024

Hosts de Airbnb intensificam verificação de redes sociais para aprovar reservas; entenda

Leia mais

A rejeição de pedidos de reserva no Airbnb tornou-se uma prática comum entre os anfitriões, que, para evitar problemas como festas não autorizadas e fraudes, passaram a investigar as redes sociais dos viajantes. Conforme relata a CNBC, essa abordagem tem se mostrado uma ferramenta essencial na seleção dos hóspedes.

Anfitriões como Vicky Borman exemplificam a necessidade desse rigor. Sem avaliações no perfil da solicitante, Borman, que possui status de “Superhost” no Airbnb, investigou as redes sociais da jovem e descobriu um anúncio de festa em St Neots, levando-a a negar o pedido de reserva. “A seleção rigorosa é crucial para manter a segurança e a integridade das propriedades alugadas”, afirma Borman.

++ Trabalhadores da Samsung entram em greve na Coreia do Sul

Uma pesquisa com 247 gestores de propriedades de aluguel do Reino Unido, Estados Unidos, França, Alemanha e Canadá, realizada pela empresa de segurança domiciliar Minut, confirma a abordagem de Borman. Cerca de 43% dos gestores enfrentaram reclamações de barulho, enquanto 25% tiveram a polícia chamada para suas propriedades.

Sebastien Long, CEO da Lodgeur, empresa de aluguel de apartamentos mobiliados em Houston, também adota essa prática. Ele verifica as redes sociais dos hóspedes e realiza buscas de notícias online para verificar antecedentes criminais. “Bloqueamos cerca de 2% das reservas para evitar fraudes com cartões de crédito”, destaca Long.

Crystal Shell, “superhost” do Airbnb no Alabama, é ainda mais rigorosa: só aceita hóspedes com avaliações de cinco estrelas. Após problemas com hóspedes que não seguiam as regras de check-out, ela criou a empresa “Hello Guest Screen”, que fornece informações de check-out nas TVs das propriedades.

++ Nvidia espera vender US$ 12 bilhões em chips de IA para a China

Um porta-voz do Airbnb afirmou à CNBC que a empresa oferece o AirCover, uma proteção contra danos, e suporte 24/7. Apenas 0,03% das reservas globais resultaram em danos acima de $1.000 (R$ 5,5 mil). A empresa incentiva a comunicação entre anfitriões e hóspedes antes da confirmação das reservas.

Borman lembra da pior experiência que teve: um homem reservou seu chalé de última hora, alegando que jantaria na região com a esposa. Eles saíram na mesma noite, após o homem reclamar do colchão e exigir reembolso. Borman encontrou o chalé sujo e com itens faltando. O Airbnb negou o reembolso ao hóspede e exigiu ressarcimento pelos danos.

Essa experiência reforça a importância de uma avaliação criteriosa dos hóspedes para garantir a segurança e tranquilidade das propriedades alugadas.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias