20.7 C
São Paulo
sexta-feira, julho 19, 2024

Análise de blockchain torna-se essencial no combate a crimes com criptomoedas

Leia mais

Com a consolidação da criptoeconomia e a entrada de grandes players do mercado financeiro, organizações públicas de aplicação e garantia da lei têm se preparado para combater crimes relacionados às criptomoedas. Os ativos digitais, agora integrados ao sistema financeiro global, atraem criminosos que buscam oportunidades econômicas, em um mercado que já capitaliza mais de 2 trilhões de dólares.

Semelhante às moedas fiduciárias, as criptomoedas são utilizadas em atividades ilícitas que afetam a vida de pessoas comuns, como golpes e roubos de poupanças. Apesar de representarem apenas 0,34% do volume total transacionado com moedas digitais no último ano, conforme o 2024 Crypto Crime Report da Chainalysis, mais de US$ 22 bilhões em criptomoedas foram movimentados em transações suspeitas em 2023.

++ Carteira digital movimenta R$ 37 milhões em bitcoin após 12 anos de inatividade

Alguns atributos dos ativos digitais os tornaram atraentes para usos mal-intencionados:

  • Pseudonimato: Criminosos acreditam, erroneamente, que as criptomoedas são anônimas. Na verdade, o uso de pseudônimos cumpre regulamentos de KYC (conheça seu cliente) e combate à lavagem de dinheiro. Com investigação, é possível identificar a pessoa ou entidade controladora desse pseudônimo.
  • Velocidade e custo: Transações, incluindo remessas internacionais, são mais rápidas e baratas que transferências bancárias tradicionais.
  • Táticas de fraude: Criminosos usam mixers de criptomoedas para ocultar a origem e destino das transações.

Embora o blockchain funcione como um livro público e transparente, sua leitura e análise não são simples. Qualquer pessoa pode pesquisar transações usando um explorador de blockchain, mas essas ferramentas não agregam dados de forma inteligente. A análise profunda permite investigar crimes de forma eficiente.

A análise de blockchain oferece uma vantagem revolucionária para órgãos de investigação, permitindo examinar grandes conjuntos de dados, organizar informações graficamente e gerar insights sobre atividades suspeitas. Agentes de segurança pública usam essa ferramenta para identificar e analisar transações criminosas, rastrear o fluxo de criptomoedas ao longo do tempo e conectar transações a entidades reais.

++ Brasil está entre os países mais alvejados por ransomware

Essas equipes podem avançar em investigações, prender criminosos, apresentar casos judiciais e recuperar fundos em criptomoedas. Além disso, a análise de blockchain é eficaz na prevenção ao crime, ajudando a detectar atividades ilícitas desde o início, analisando padrões e conexões entre transações que podem indicar comportamento criminoso.

Ao longo dos anos, muitos órgãos governamentais têm interrompido ameaças à segurança nacional e protegido suas comunidades locais contra fraudes por meio da inteligência de blockchain. Com a crescente regulamentação das criptomoedas pelo mundo, a necessidade de investigar essas atividades deve se intensificar.

Países que alocam equipes e recursos para essa modalidade de investigação estão melhor posicionados para lidar com a evolução do mercado financeiro, integrando cada vez mais os ativos digitais.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

 

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias