20.6 C
São Paulo
sexta-feira, julho 12, 2024

O futuro do dinheiro: moedas digitais e desafios emergentes

Leia mais

A inovação no mercado financeiro tem sido uma constante, remodelando não apenas transações, mas o próprio funcionamento das instituições. Após a ascensão das fintechs, o blockchain e as criptomoedas, surge uma nova era com o desenvolvimento do CBDC – Central Bank Digital Currency, ou Moeda Digital emitida pelo Banco Central.

De acordo com um estudo do Atlantic Council, cerca de 130 países estão empenhados na criação de CBDCs, representando aproximadamente 98% do PIB global. Um salto significativo em relação aos 35 países envolvidos em maio de 2020.

Entre os países líderes nessa empreitada estão a China, Bahamas, Jamaica, Nigéria, Índia e recentemente o Zimbábue, este último introduzindo uma CBDC lastreada em ouro para combater a inflação.

++Gestão inovadora: 6 estratégias peculiares dos CEOs de Big Techs

Eliseu Tudisco, sócio da PwC Brasil, destaca que a implementação é menos complexa em locais com populações menores. Porém, desafios como tecnologia, legislação e modelo de implementação persistem.

O Dilema entre CBDC de Varejo e Atacado

A escolha entre o CBDC de varejo, para uso cotidiano, e o de atacado, voltado para instituições financeiras, é crucial para o sucesso do projeto. Courtnay Nery Guimarães, CTO para mercado financeiro da Avanade, ressalta o receio de vigilância estatal com o modelo de varejo, evidenciado pelo caso da China.

Experiências e Desafios Locais

Na Nigéria, a eNaira enfrenta críticas pela falta de anonimato e controle governamental excessivo. Enquanto na Índia, a e-rúpia é implementada com dois modelos: varejo, para transações diárias, e atacado, para transferências entre instituições.

++ Bancos estendem ajuda financeira para vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

No Brasil, o Banco Central testa o Drex, visando desenvolver serviços inteligentes e promover a evolução do sistema financeiro.

Colaboração Internacional e Desafios Adiante

Projetos como o “Mariana”, envolvendo países como França, Singapura e Suíça, exploram tecnologias de finanças descentralizadas, apontando para uma transformação global do sistema financeiro.

Entretanto, desafios regulatórios, educacionais e de privacidade persistem, exigindo esforços colaborativos e adaptações contínuas para viabilizar essa revolução financeira.

Seguir Adiante

Apesar das incertezas, o caminho para uma economia digitalizada e descentralizada está sendo pavimentado. A educação e o diálogo serão essenciais para superar os desafios e alcançar uma adoção ampla e segura das CBDCs.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias