16.8 C
São Paulo
sexta-feira, julho 19, 2024

Novo imposto pode encarecer veículos e retardar renovação da frota, alerta Anfavea

Leia mais

A proposta de reforma tributária pode dificultar a troca de veículos antigos por novos, o que contraria os objetivos de reduzir o consumo de itens prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, afirma a Anfavea.

O grupo de trabalho do projeto de reforma tributária detalhou, na quinta-feira (4), os itens que serão afetados pelo Imposto Seletivo (IS). O chamado “imposto do pecado” visa sobretaxar produtos que possam causar danos ao meio ambiente e à saúde humana, como bebidas alcoólicas e cigarros.

A versão preliminar do texto enviada pelo governo já sugeria uma cobrança diferenciada para veículos automotivos baseada em critérios como eficiência energética, potência, emissão de poluentes, categoria do veículo e reciclabilidade dos materiais.

++ Entenda como trocar carro por bicicleta elétrica pode ser bom para bolso

Novo imposto sobre veículos

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) defende que, após anos de luta pela eliminação do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), não faz sentido criar um novo imposto que se somaria ao IVA, tornando a aquisição de veículos ainda mais difícil para grande parte da população.

Carros antigos e poluentes em circulação por mais tempo

De acordo com a Anfavea, a nova cobrança desencorajará a compra ou troca de veículos antigos, que são mais poluentes e menos seguros, por novos, retardando a renovação da frota brasileira. A entidade destaca que um carro fabricado em 2000 polui 20 vezes mais que um veículo zero-quilômetro. Além disso, o desestímulo ao Proconve, criado em 1986 para reduzir as emissões de poluentes urbanos, é outro ponto negativo da medida.

++ Conheça a startup de energia solar que espera movimentar R$ 1 bilhão em dois anos

Impactos no setor automotivo

A Anfavea alerta que o Imposto Seletivo pode causar uma queda nas vendas e impactos negativos em um setor que emprega 1,2 milhão de pessoas. O aumento de preços pode afetar ambulâncias, veículos de bombeiros, vans escolares, caminhonetes e furgões utilizados por pequenos empreendedores, prejudicando a economia.

A entidade ressalta a contradição entre os objetivos da proposta e os resultados práticos, fazendo um apelo para que os envolvidos analisem cuidadosamente os pontos negativos dessa mudança e compreendam os impactos devastadores que ela pode causar.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias