14.5 C
São Paulo
sábado, julho 13, 2024

Nestlé investe em reflorestamento de áreas degradadas em Minas Gerais

Leia mais

Nestlé inicia projeto ambicioso de reflorestamento, plantando 6 milhões de árvores em áreas de Cerrado e Mata Atlântica de Minas Gerais

A Nestlé, gigante do setor alimentício, está lançando um projeto de grande escala para reflorestar e manter 6 milhões de árvores em áreas degradadas de Cerrado e Mata Atlântica em Minas Gerais. Este projeto abrange 4 mil hectares e é o maior já realizado pela empresa no Brasil.

“Realizar este projeto no Brasil é crucial para a Nestlé, considerando que o país tem um papel significativo em nossas vendas e na nossa pegada de carbono devido à produção de leite. Estamos comprometidos em reduzir nossas emissões e implementar práticas como o reflorestamento,” afirma Marcelo Melchior, CEO da Nestlé Brasil, em entrevista à EXAME.

A iniciativa, que terá uma duração de 30 anos, faz parte do Programa Global de Reflorestamento da Nestlé, que visa plantar e cultivar 200 milhões de árvores nativas até 2030 em vários biomas ligados à produção de ingredientes utilizados pela empresa globalmente. Este programa é uma das estratégias da Nestlé para mitigar os efeitos das mudanças climáticas e alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

++ Amazon divulga as datas do Prime Day 2024; saiba mais

Com financiamento integral da Nestlé, o projeto será gerido pela NatureCo, uma empresa australiana especializada em soluções baseadas na natureza, em colaboração com uma rede global de ONGs ambientais. Em Minas Gerais, a parceria local será com o Instituto Espinhaço, uma ONG focada em reflorestamento e recuperação de bacias hidrográficas.

“A crise climática nos obriga a repensar todas as nossas atividades de maneira sistêmica, com a ambição de não apenas sustentar, mas regenerar os sistemas alimentares,” declara Barbara Sapunar, Diretora Executiva de Business Transformation na Nestlé Brasil.

Segundo Sapunar, as áreas de reflorestamento estão próximas às cadeias produtivas da Nestlé, sendo essenciais para a sustentabilidade do Brasil. “Na Mata Atlântica, por exemplo, resta apenas 7% da floresta original. Esperamos que o cultivo de árvores nas áreas de onde obtivemos nossos principais ingredientes melhore a fertilidade do solo e promova um ecossistema mais saudável.”

Benefícios para os Produtores

Após dois anos de estudos e análises com o Instituto Espinhaço, a Nestlé envolveu o terceiro setor, autoridades públicas e produtores para definir o melhor modelo de atuação. Os produtores que participarem do projeto receberão setenta e cinco dólares por hectare cedido, além de suporte técnico para a manutenção da área.

“O produtor se interessa pelo projeto porque consegue regularizar uma área degradada legalmente, sem custo. Ele cede o terreno e nós cuidamos do resto,” explica Melchior.

++ Aluguel de patinetes elétricas da Whoosh chega ao Rio de Janeiro; saiba mais

Avanços da Nestlé no Reflorestamento

De acordo com o jornal, a fase de plantio, que começará nas próximas semanas, será concluída até 2027. Serão plantadas mudas de mais de 100 espécies nativas nas margens de nascentes, córregos e rios das bacias hidrográficas dos rios Doce e São Francisco, abrangendo uma área de Belo Horizonte até Montes Claros.

Após o plantio, as áreas serão monitoradas até que as florestas estejam plenamente estabelecidas. “Queremos contribuir para a recuperação da biodiversidade e melhorar a qualidade de vida das comunidades locais, criando empregos e renda,” comenta Sapunar.

Este projeto é um dos pilares da agenda de sustentabilidade da Nestlé Brasil, que se comprometeu a adquirir 30% das suas principais matérias-primas (leite, café e cacau) de propriedades que utilizam práticas de agricultura regenerativa até 2025. A empresa também pretende reduzir suas emissões de CO2 em 50% até 2030 e alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Sapunar também vê oportunidades na área de créditos de carbono. “Embora tenhamos uma avaliação inicial, a efetividade dependerá do desenvolvimento das espécies e do sucesso do projeto. Os produtores também terão acesso a parte desses créditos, cerca de 10%,” explica.

++ Startup brasileira estuda o uso de hemogramas e IA para diagnóstico do câncer de mama

Histórico de Sustentabilidade da Nestlé

A Nestlé já anunciou iniciativas semelhantes no passado. Em 2020, a empresa se comprometeu a plantar três milhões de árvores em suas principais áreas de fornecimento de matérias-primas. “Estamos aprendendo o que funciona e quais são os parceiros ideais. A longo prazo, essas árvores transformam a biodiversidade das áreas e beneficiam toda a região,” destaca Melchior.

Programas de Sustentabilidade da Nestlé

A Nestlé mantém programas de sustentabilidade em suas cadeias de fornecimento de cacau, leite e café, envolvendo cerca de 10 mil produtores rurais que seguem boas práticas ambientais e de direitos humanos.

Até 2025, a Nestlé planeja obter 100% do seu cacau de fontes sustentáveis através do Nestlé Cocoa Plan, que reúne mais de 6.500 produtores. “Acreditamos que o Brasil pode voltar a ser autossuficiente na produção de cacau e estamos trabalhando para isso,” afirma Melchior.

Na cadeia do leite, o programa Nature por Ninho trabalha com cerca de 1.200 produtores para promover práticas regenerativas e bem-estar animal. Este ano, o programa expandiu o monitoramento das fazendas fornecedoras para incluir a pegada de carbono.

O programa Cultivado com Respeito, criado há mais de 10 anos, é a maior iniciativa de sustentabilidade da Nestlé na cafeicultura global, com 1.500 fazendas certificadas e 100% de rastreabilidade da matéria-prima adquirida pela empresa.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias