25.4 C
São Paulo
segunda-feira, julho 22, 2024

Google veta anúncios em campanhas políticas nas eleições deste ano no Brasil

Leia mais

Google tomou a decisão de vetar anúncios em campanhas políticas nas eleições deste ano no Brasil após não concordar com as condições das atualizações das diretrizes de impulsionamentos impostas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo informações divulgadas pelo portal Poder360, a empresa preferiu limitar o impulsionamento de campanhas políticas no país.

A decisão, que começa a valer a partir do dia 1º de maio deste ano, tende a impactar bastante nas eleições deste ano. Ainda de acordo com a empresa, “Essa atualização acontecerá em maio tendo em vista a entrada em vigor das resoluções eleitorais para 2024. Temos o compromisso global de apoiar a integridade das eleições e continuaremos a dialogar com autoridades em relação a este assunto”.

++ Quem é Bert Beveridge? Empresário que tem fortuna estimada em US$ 6,5 bilhões

O que a proibição pode causar?

Está proibido promover conteúdos dos candidatos e também qualquer coisa que venha envolver o processo eleitoral como nas últimas eleições. Sendo assim, não serão permitidos impulsionar o Google, Youtube e demais plataformas da empresa. 

O Google avaliou que tal investimento em conteúdos como esses é inviável em uma eleição. A empresa acredita que as normas atuais são amplas demais, pois as novas regras requerem que seja realizado um acompanhamento em tempo real.

Desse modo, teria que ser realizado digamos que um reabastecimento dos anúncios, aliado a uma plataforma ajude no acompanhamento em tempo real.

Além dessa nova norma que exige o acompanhamento dos anúncios pelas empresas, o TSE vetou a deepfake e irá diminuir a utilização de inteligência artificial nas campanhas políticas em 2024. Essa medida do Tribunal Superior Eleitoral busca reduzir a manipulação, o favorecimento, além de passar por cima de outras candidaturas.

++ Dona do Ozempic reinventa-se para atender a demanda surreal pelo medicamento

Quando passa a valer a nova norma?

Tais medidas deverão ser implantadas em no máximo 60 dias da introdução da regra, portanto a norma do TSE é válida até para os anos em que não teremos eleições no país.

A inteligência artificial não está toda banida, equipamentos que foram criados por IA generativa estão permitidos, entretanto precisam estar devidamente identificados para provar a sua originalidade.

O ministro Alexandre de Moraes se manifestou durante o anúncio dizendo “Vivemos com o perigo das fake news “anabolizadas” pela inteligência artificial. Nós já vimos o que aconteceu na Argentina, um vídeo transformando uma fala com perfeição, e isso pode acarretar num problema gigantesco, o que pode até afetar o resultado de uma eleição”. 

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias