25.4 C
São Paulo
segunda-feira, julho 22, 2024

Entenda o impacto do uso de celulares antes de dormir

Leia mais

A questão sobre se o uso do celular antes de dormir afeta a qualidade do sono continua a ser um tema de debate. Um recente relatório publicado na Sleep Medicine Reviews sugere que remover toda a tecnologia antes de dormir pode não ser sempre benéfico e pode até levar a mais pensamentos negativos, excitação e, eventualmente, agravar sintomas de insônia.

A metanálise, que revisou informações de vários estudos anteriores, explorou duas hipóteses principais: a hipótese da luz brilhante, que liga o uso da tecnologia ao sono, e a hipótese da excitação, que sugere menor estimulação nas horas que antecedem o sono.

++ WhatsApp testa novo recurso de IA para criar imagens de usuários

“Para alguns indivíduos e famílias, remover a tecnologia dos quartos durante a noite pode ser uma maneira útil de evitar quaisquer possíveis impactos do uso da tecnologia no sono. No entanto, restringir dispositivos pode não ser adequado para todos, ou para algumas famílias isso pode ser difícil de implementar”, afirmam os pesquisadores da Universidade de Örebro, na Suécia.

O estudo aponta que algumas pessoas podem ser mais vulneráveis aos efeitos negativos da tecnologia sobre o sono e que os esforços de intervenção devem se concentrar nessas características específicas. “Por exemplo, os indivíduos com baixo autocontrole devem adaptar seu ambiente de sono para limitar as tentações, não mantendo a tecnologia estimulante ao alcance do braço no quarto”, sugere o artigo.

Os pesquisadores também ressaltam que as informações sobre por que a tecnologia afeta o sono precisam ser atualizadas: “luz brilhante e excitação não parecem importar tanto quanto a forma como administramos nosso tempo de tela à noite”. No entanto, reconhecem a necessidade de mais pesquisas na área.

++ Pequenos empresários brasileiros avançam na economia circular

A conclusão do estudo é que, embora restringir a tecnologia do quarto possa ser uma solução eficaz, as pessoas podem usar a tecnologia para facilitar o sono. Os pesquisadores incentivam os profissionais que trabalham com jovens a considerar o uso da tecnologia como um auxílio para o início do sono e a minimizar os danos.

Eline Barbosa, neurologista e especialista do sono, destacou em entrevista ao Canaltech que “o uso de celulares e outros eletrônicos inibe a produção do hormônio que induz ao sono, a melatonina”. Ela recomenda que se evite o uso de eletrônicos pelo menos uma hora antes de dormir.

A melatonina, produzida pela glândula pineal no cérebro, regula o ciclo sono-vigília e sua produção aumenta à noite, sinalizando ao corpo que é hora de dormir. O uso de dispositivos eletrônicos antes de dormir pode atrapalhar essa produção, resultando em sono de má qualidade e cansaço durante o dia, o que pode prejudicar o desempenho cognitivo.

Além disso, um sono de má qualidade pode aumentar a predisposição a algumas doenças e agravar condições crônicas como pressão alta e diabetes. Para melhorar a qualidade do sono, Eline Barbosa recomenda, além de evitar a tecnologia antes de dormir, manter regularidade nos horários do sono, deitar apenas quando estiver com sono e fazer atividade física pela manhã.

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias