25.4 C
São Paulo
segunda-feira, julho 22, 2024

Conheça a tecnologia brasileira que vai ajudar nas tragédias do Rio Grande do Sul

Leia mais

A startup PWTech conseguiu desenvolver um sistema de filtragem que vai conseguir ser utilizado para ajudar as pessoas que estão sofrendo com a tragédia no Rio Grande do Sul. Através desse aparelho, vai ser possível filtrar cerca de 50 mil litros de água por dia, assim, tornando-a potável para o consumo. 

O PW5660, como é conhecido, realiza o serviço quase como um aparelho que realiza hemodiálise em hospitais, a primeira ação é passar o líquido por um clorador e na sequência por dois níveis de filtro particulado. No final, a água vai passar por uma membrana de ultrafiltração, que vai tirar os vírus e bactérias e reduzir em até 99,5% as partículas finas de sólidos suspensos no líquido. 

A ação visa descontaminar as águas de rios, lagos e poços da região para conseguir auxiliar a população. 

++O que essas empresas fazem para serem um exemplo de gestão e como replicar no seu negócio

“Se você filtra o sangue e a pessoa não morre, logicamente que esse filtro vai filtrar a água. Então, a gente adaptou ele para a filtragem de água e ele é uma barreira física para vírus e bactérias. Seja ele qual for, não passa pela membrana de diálise. Daí sai uma água dentro das características de água potável, segundo o Ministério da Saúde, para fontes não alternativas de água”, destaca o CEO, Fernando Marcos Silva. 

Ao todo, foram encaminhados 220 purificadores na última quarta-feira (8) para o Rio Grande do Sul, vale ressaltar que a única necessidade para a tecnologia operar é um recipiente para depositar a água potável após toda a operação. 

++Tecnologia do bem: Desenvolvedores se unem para criar aplicativos de ajuda na tragédia do RS

Por essa tecnologia, a PWTech chegou a vencer licitações internacionais da Organização das Nações Unidas (ONU), assim, o purificador tem atuado em diversos países como Ucrânia, Haiti, Síria, Gaza e Líbia. 

A empresa acaba por não comercializar o produto para o consumidor final, com isso, apenas instituições governamentais e empresas podem usufruir do purificador. Aqui no Brasil, a tecnologia trabalha na aldeia Taracoa, Amazonas, Vale do Jequitinhonha e escolas da região de Macaé em um futuro próximo. 

Não deixe de nos seguir no Instagram para mais notícias da Pardal Tech

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias