17 C
São Paulo
sábado, julho 13, 2024

Explorando o refúgio secreto de Mark Zuckerberg; detalhes exclusivos revelados

Leia mais

Em 2014, a aquisição de vastas extensões de terra na remota ilha de Kauai, no Havaí, pelo magnata da tecnologia Mark Zuckerberg, CEO da Meta, desencadeou um projeto de proporções épicas.

Com um investimento inicial de US$ 150 milhões, a iniciativa desenrolada em uma ilha famosa por sua beleza natural, mas também envolta em polêmicas sobre o desenvolvimento versus conservação.

A contratação de uma legião de trabalhadores sob estritas cláusulas de confidencialidade apenas aumentou os rumores e a desconfiança em uma comunidade conhecida por sua coesão.

Apesar das críticas e resistências, o projeto continua a avançar. Abaixo, revelamos os detalhes do complexo do bilionário:

  • Extensão Adquirida: 500 hectares, uma área que facilmente supera em 65 vezes o tamanho do Palácio de Buckingham ou do Palácio de Versalhes.
  • Complexo Estrutural: Mais de uma dúzia de edifícios, incluindo duas mansões principais, cada uma com cerca de 30 quartos e 30 banheiros, além de elevadores, escritórios, salas de reuniões e uma cozinha industrial. Um prédio adjacente abriga instalações de lazer como academia, sauna, jacuzzi, spa, piscina e quadra de tênis.
  • Acomodações Extras: 11 casas em árvores com design peculiar na floresta adjacente, conectadas por uma rede de pontes suspensas; casas para hóspedes, prédios administrativos e de serviço pontilham toda a propriedade.
  • Autossuficiência: Um grande reservatório de água e áreas dedicadas à agricultura e pecuária garantem a autossuficiência do complexo, permitindo eventos corporativos e sustentabilidade a longo prazo.
  • Refúgio Subterrâneo: Um túnel conecta as mansões centrais a um bunker subterrâneo com cerca de 500 metros quadrados, equipado com áreas habitáveis, sala de máquinas e uma escotilha de escape fortificada.
  • Custo Aproximado: A construção é projetada para custar pelo menos 92 milhões de euros, com um investimento adicional de 156 milhões de euros no terreno, marcando-a como a maior empreitada civil da ilha sem a devida avaliação pública.

Apesar das controvérsias, Zuckerberg e sua esposa, Priscilla Chan, afirmam compromisso com a preservação ambiental, destacando que menos de 1% da área adquirida é urbanizada, com a maior parte dedicada à agricultura, pecuária e conservação.

Em resposta às críticas e à crescente pressão pública, o casal também intensificou seus esforços filantrópicos, contribuindo generosamente para projetos locais e organizações sem fins lucrativos.

O bunker de Mark Zuckerberg é mais do que apenas uma estrutura física; é um símbolo das preocupações crescentes com a privacidade e segurança em um mundo digital. Enquanto Zuckerberg e outros líderes de tecnologia continuam a inovar e transformar o mundo ao nosso redor, é importante lembrar que a privacidade e a segurança devem ser prioridades fundamentais. O bunker de Zuckerberg pode ser apenas o começo de uma nova era de proteção digital para indivíduos e famílias em todo o mundo.

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias