21.8 C
São Paulo
sexta-feira, julho 12, 2024

Rede de roupas infantis conta 85% de mulheres na liderança de franquias e ressalta o empreendedorismo feminino

Leia mais

Rede de roupas infantis possui 41 unidades em operação, das quais 35 são representadas por uma figura feminina. (Foto: Divulgação)
Rede de roupas infantis possui 41 unidades em operação, das quais 35 são representadas por uma figura feminina. (Foto: Divulgação)

São Paulo, março de 2023 – Apenas no segundo trimestre de 2023, houve um crescimento de 12,9% no setor de franquias no Brasil, em relação à 2022, de acordo com dados da Pesquisa de Desempenho da Associação Brasileira de Franchising (ABF). O segmento de moda foi o terceiro que mais cresceu, com um faturamento de 16,8% frente ao mesmo período do ano anterior.

Das maiores franquias do país, 14% estão no setor de moda e vestuário. Diante de tal evolução, o mercado de roupa infantil cresce, em média, 6% ao ano e torna-se grande atrativo de investimento para empreender, principalmente para mulheres.

A Arena Baby, rede de franquia de moda sustentável, conta com muitos exemplos de mulheres que migraram para o ramo do empreendedorismo e que, hoje, mudaram sua qualidade de vida em prol de um mesmo propósito na área.

É o caso da Luciana Di Ciero, engenheira agrônoma com PhD em bioquímica e biologia celular, e que agora também é uma franqueada da Arena Baby na unidade de Campinas, São Paulo, desde setembro de 2023: “Já tinha algum tempo que eu queria empreender em uma área diferente daquilo que eu fazia. Quando minha filha ficou grávida, entrei em contato com este mercado e achei muito interessante. Eu já vinha estudando o campo da economia circular, pois acho extremamente importante para a sustentabilidade do planeta e das pessoas”.

“As franquias são empreendimentos que deram certo e dão um suporte necessário para você começar um negócio com muito mais chance de sucesso, e a Arena Baby foi uma franquia que me chamou atenção pelos valores da empresa e por ser uma das pioneiras no setor no Brasil”, complementa a empreendedora.

Em relação ao papel feminino na área de trabalho, Luciana acredita que ainda há desafios, mas que podem ser combatidos: “Ter uma legislação rígida, com fiscalização da discriminação de mulheres no mercado de trabalho, ainda mais com vagas e salários, é o primeiro passo. Além disso, um incentivo para empresas contratarem mais mulheres também é crucial”.

Outra história é a da Rafaela Almeida, formada em administração pela Universidade de Juiz de Fora, e que agora está a frente da unidade de Varginha, Minas Gerais, há um ano: “Sempre trabalhei na minha área, mas decidi dar uma pausa nessa parte da minha carreira quando engravidei, e foi aí que eu e o meu esposo vimos a oportunidade de empreender”.

Rafaela conta que ela e o companheiro queriam um negócio que tivesse a cara deles, e que representasse o momento que estavam vivendo na época: “Quando eu procurei a Arena baby, a minha filha estava com 7 meses. A gente começou a conversar, eu já conhecia o nicho de modo circular porque as roupas da minha filha sempre foram compradas em brechó. Quando conhecemos a proposta, achei super interessante e resolvi embarcar nessa. Até então está sendo muito positivo, estou tendo um baita crescimento profissional e a loja está crescendo junto também”.

“Os desafios para uma mulher quando está na direção são grandes. Muitas vezes percebo olhares de alguns clientes, que sempre acham que tem que ter um homem por trás e até questionam: ‘quem é o dono?’. Mas acredito que cada vez mais mulheres estão sim em posições que antes não chegávamos, na liderança e como empreendedoras também. É muito importante ver essa evolução, principalmente para as próximas gerações”, finaliza a administradora.

Ainda de acordo com a ABF, 49% das unidades franqueadas são lideradas por mulheres. Na Arena Baby, das 41 unidades em operação, 85% contam com uma figura feminina na direção.

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias